22.9.09

Non siamo uguali

É só “voltar a casa do pai”... Que uma saudação, gera descontentamento e mais uma discussão, que não é mais necessária. Fato que eu não discuto mais.

Não tento mais argumentar, defender, bater pé ou aceitar. Não importa, o jogo sempre vira, o discurso sempre é o errado, se 2 mais 2 são 4, está errado e ponto.
Antes batia de frente mesmo. Hormônios de uma adolescente que sonhava, que tinha gana, que era uma rebelde sem causa, nascida pra fazer revolução. Ditadura não era história, era fato verídico e perene. Entra e sai ano... E a luta continuava companheiros...
Com o tempo, a cara pintada, foi lavada por perdas, muitos danos e lágrimas. A bandeira recolhida. O estatuto li e relido. E vi que o provérbio chinês, começava a fazer todo sentido: "Diz-me e eu esquecerei, ensina-me e eu lembrar-me-ei, envolve-me e eu aprenderei.

Tanto você disse, certa ou erroneamente, que esqueci diversas vezes e por vezes obriguei-me a esquecer. Tantas você me ensinou, as vezes sem perceber, e hoje lembro e repito do seu jeito. (Dá certo! Muito obrigada.) Contudo teve medo de me envolver. Oras porque isso sempre foi teu sonho e as dificuldades e tradições não lhe permitiram. Entendo. Não me envolveste também por medo de me perder... Não espero que entendas ou concorde. Se não for pedir muito do seu tempo, apenas reflita. Pois aprendi a refletir e descobri que não poderei te envolver.

Mesmo assim, desejaria que isso pudesse mudar.

É isso, mãe.

PS: Se nada entender apenas leia a música.

Mamma ho sognato che bussavi alla mia porta
E un po' smarrita ti toglievi i tuoi occhiali
Ma per vedermi meglio e per la prima volta
Sentivo che sentivi che non siamo uguali
Ed abbracciandomi ti sei meravigliata
Che fossi così triste e non trovassi pace
Da quanto tempo non ti avevo più abbracciata
E in quel silenzio ho detto piano... mi dispiace!
Però è bastato quel rumore per svegliarmi
Per farmi piangere e per farmi ritornare
Alla mia infanzia a tutti quei perduti giorni
Dove d'estate il cielo diventava mare
Ed io con le mie vecchie bambole ascoltavo
Le fiabe che tu raccontavi a bassa voce
E quando tra le tue braccia io mi addormentavo
Senza sapere ancora di essere felice.
Ma a sedici anni io però sono cambiata
E com'ero veramente adesso mi vedevo
E mi senti ad un tratto sola e disperata
Perché non ero più la figlia che volevo
Ed è finita li la nostra confidenza
Quel piccolo parlare che era un grande aiuto
Io mi nascosi in una gelida impazienza
E tu avrai rimpianto il figlio che non hai avuto.
Ormai passavo tutto il tempo fuori casa
Non sopportavo le tue prediche per nulla
E incominciai a diventare anche gelosa
Perché eri grande irraggiungibile e più bella
Mi regalai così ad un sogno di passaggio
Buttai il mio cuore in mare dentro una bottiglia
E persi la memoria mancando di coraggio
Perché mi vergognavo di essere tua figlia!
Ma tu non bussi alla mia porta e inutilmente
Ho fatto un sogno che non posso realizzare
Perché ho il pensiero troppo pieno del mio niente
Perché l'orgoglio non mi vuole perdonare
Poi se bussassi alla mia porta per davvero
Non riuscirei nemmeno a dirti una parola
Mi parleresti col tuo sguardo un po' severo
Ed io mi sentirei un'altra volta sola.
Perciò ti ho scritto questa lettera confusa
Per ritrovare almeno in me un po' di pace
E non per chiederti tardivamente scusa
Ma per riuscire a dirti mamma... mi dispiace!
Non è più vero che di te io mi vergogno
E la mia anima lo sento ti assomiglia
Aspetterò pazientemente un altro sogno.
Ti voglio bene mamma... scrivimi... tua figlia.

[Mi Dispiace – Laura Pausini]

2 comentários:

Giii disse...

Meu, juro.queria te ajudar de alguma forma.Até pq, já passei por isso.por essas brigas...E quem mudou.foi eu mesma...Pq somos os mais prejudicados,pq cansa vc chegar em casa e ser alvo de uma pessoa que nao entende vc.nao entende seu modo de pensar.de agir...de ser...Nisso tudo, o que aprendi foi simplesmente ouvir.e se acha que ta certo.ok.fique com sua razão...mas meu.para de se desgastar com isso.dxa falar.dxa explodir...dói:?dói.eu sei.palavras sao phoda.pra gente esquecer demora.mas nada como esquecimento pra dar lugar ao amor.é sua familia.vcs nao estao por acaso juntos.vcs sao diferentes.mas precisam disso pra serem melhores com vcs mesmo.a mudanca comeca em nós.e os outros percebem...Na boa, qnd tiver dificuldade.no meio de uma briga.potz.desvia teu pensamento.pensa em coisa boa.ao inves de agredir.abraca.sério...
é um desabafo por t ver sempre nessa.se precisar conversar.grita aí!Força sempre!!!!!!!

Carol disse...

Oieee. Td bem com vc?? Passando pra conhecer. E amei. Muito fofo e aconchegante seu blog. Espero tua visitinha no meu ok? Beijos. E tenha um ótimo dia.

 
BlogBlogs.Com.Br